sexta-feira, 30 de março de 2012

População não sabe identificar pneumonia

População não sabe identificar pneumonia
O perigo é que a população não apenas desconhece a pneumonia, como também os sintomas, as formas de prevenção e o médico que deve ser procurado em casos de suspeita

Febre, tosse e aquela cara abatida de quem está ficando doente. Seu filho está resfriado de novo, você pensa. Mas, passam os dias, a febre continua e não há remédio que dê jeito. Na maioria dos casos, é assim que a pneumonia aparece: devagar e camuflada com os sintomas de uma gripe.

O perigo é que a população não apenas desconhece a pneumonia, como também os sintomas, as formas de prevenção e o médico que deve ser procurado em casos de suspeita. Esse foi o resultado de uma pesquisa encomendada pela Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia ao Datafolha.

Numa situação hipotética de suspeita da pneumonia, 40% não saberiam a que médico recorrer. E essa demora em procurar o médico e a automedicação levam a quadros mais graves e até mesmo à morte, caso o antibiótico correto não seja dado em até oito horas do início dos sintomas plenos, segundo o presidente da Sociedade de Pneumologia do Espírito Santo, Firmino Braga.


"Pode ser fatal principalmente para quem está no grupo de risco, como idosos, crianças com menos de 5 anos, diabéticos, pessoas com problemas renais e cardíacos. É preciso ficar atento a dor torácica, falta de ar, alteração de pressão, febre alta, tosse com secreção amarelada. Se não houver melhora em até 72 horas, é preciso consultar o médico, que pode ser um clínico ou mesmo um especialista", explica o pneumologista.

Reconhecer os sintomas e procurar o médico pode ser determinante para o tratamento. No entanto, 23% dos entrevistados que afirmam conhecer a doença não souberam citar um único sintoma. Os mais citados foram dores no peito, pulmões, tórax e nas costas (37%); calafrios (35%); tosse seca e contínua (31%); falta de ar (23%); e mal-estar e indisposição (19%).

Durante o estudo, batizado de "Saúde Respiratória e do Pulmão", foram entrevistados 2.242 brasileiros com 16 anos ou mais, que pertence, a todas as classes econômicas.

Quem bebe e fuma tem mais chance de ter doença

Alguns fatores podem facilitar o aparecimento da pneumonia, como o álcool e o cigarro. O pneumologista Firmino Braga explica que o fumo pode causar uma inflamação que facilita a entrada de outros agentes agressores nos pulmões, e pessoas que bebem têm a imunidade diminuída.

Não é mito. Sair de um lugar muito quente e entrar num ambiente muito frio, ou praticar esporte e ficar com a roupa molhada num lugar frio também podem ser fatores de risco para resfriados e pneumonias. "Isso acontece principalmente no caso das pessoas que são alérgicas. A mudança climática vai predispor viroses, que, por sua vez, pode acarretar em uma pneumonia", alerta o médico.

Fazer a manutenção do aparelho de ar-condicionado também é uma medida preventiva, já que o acúmulo de poeira pode causar inflamação nas vias aéreas superiores, e a umidade presente no processo de refrigeração pode favorecer as infecções por fungos. Quem trabalha em ambiente com ar-condicionado deve beber muita água.

Qual médico procurar?

40%  desconhecem - Esse é o percentual dos entrevistados na pesquisa que tinham conhecimento da doença, mas que não faziam ideia de qual médico procurar em caso de pneumonia

Como reconhecer a doença
Atenção aos sintomas:

Febre alta

Dor torácica

Falta de ar

Cansaço

Tosse seca, depois acompanhada por secreção amarelada

Alteração de pressão

Quando procurar um médico:

Os sintomas da pneumonia se parecem muito com os da gripe e de resfriados. Se em até 72 horas os sintomas persistirem, a pessoa deve procurar um serviço de emergência ou um especialista (infectologista e pneumologista). Reconhecer os sintomas e procurar o médico pode ser determinante no sucesso do tratamento. A demora, em alguns casos, pode resultar em morte

Grupos de risco:

Idosos

Crianças (principalmente com menos de 5 anos)

Pessoas com problemas cardíacos, renais, com diabetes, câncer e com imunidade baixa em geral

A GAZETA
Daniella Zanotti


Qual a diferença entre Pneumonia e Broncopneumonia?
Broncopneumonia
    O QUE É  A  BRONCOPNEUMONIA ? 


Define-se Broncopneumonia como sendo infecção causado por um agente bacteriano ou viral, atingindo principalmente os brônquios e bronquíolos dos pulmões.

Ela também pode ser comparado como uma Pneumonia mais branda  ou em outras palavras, seria como se fosse a fase inicial de uma Pneumonia.

Portanto tanto o seu quadro clinico, como o seu diagnósticos e tratamento se assemelha a Pneumonia. Assim sendo basta consultar o tema anterior para se inteirar do assunto.

A principal diferença entre Pneumonia e a Broncopneumonia, reside no fato de que o exame radiológico (Rx Simples de Tórax). Nas broncopneumonias são bastante discretos e tênues podendo muitas vezes passar desapercebido. Pôr isso a grande importância de se consultar um especialista do ramo, que neste caso seria um Pneumologista para que seja dado devida atenção, evitando maiores complicações.


Um comentário:

  1. toniel alves da silva3 de abril de 2012 23:20

    Essa informacao eu nao sabia, pensei que pneumonia e broncopneumonia era a mesma doença doença gostei da informaçao, parabens pessoal do blog! Toniel alves da silva 03/04/12.

    ResponderExcluir

Fique a vontade para comentar, só lembramos que não podemos aceitar ofensas gratuitas, palavrões e expressões que possam configurar crime, ou seja, comentários que ataquem a honra, a moral ou imputem crimes sem comprovação a quem quer que seja. Comentários racistas, homofóbicos e caluniosos não podemos publicar.